Notícia

22 de Outubro de 2020
Deputados aprovam Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas no RN

Crédito da foto: AL/RN. 

Os deputados estaduais aprovaram na manhã desta quarta-feira (21), em sessão ordinária, a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte. A expectativa dos parlamentares é de que esse projeto de lei possa impactar cerca de 200 mil negócios no estado. A matéria estava na Assembleia Legislativa desde agosto.

O Projeto de Lei nº 213/2020 regulamenta o tratamento diferenciado, favorecido e simplificado a ser dispensado às microempresas (ME), às empresas de pequeno porte (EPP), aos microempreendedores individuais (MEI) e a outras modalidades de empresas a elas equiparadas.

Segundo os parlamentares, há seis esferas fundamentais no projeto: políticas de desenvolvimento e desburocratização, compras governamentais, estímulo à inovação, estímulo ao crédito e capitalização de incentivos tributários, economia solidária e cooperativismo, além de educação empreendedora.

"Essas micro e pequenas empresas representam quase 90% de todas as que estão estabelecidas no estado. Hoje temos 235 mil potiguares desempregados, 17% da nossa população. Então, vamos trabalhar diretamente na geração de emprego e renda com a aprovação da lei no nosso estado", disse Kleber Rodrigues (PL), que preside na Assembleia a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa.

"Para nós do Sebrae a lei é de importância maior por que reforça nosso trabalho de apoio e suporte aos micro e pequenos empreendedores", disse Zeca Melo, superintendente do Sebrae.

O texto apresenta mudanças de regras, redução de burocracias e até incentivos nas compras governamentais. Entre os tópicos, estão o fomento de incubadoras e startups e a delimitação de 40% dos recursos destinados à inovação para micro e pequenas empresas.

"O tópico mais importante dessa lei é o limite de compras públicas: 200 mil reais para aquisição de serviços exclusivos a partir desse momento para micro e pequenas empresas. Eu estou falando, só no ano passado, R$ 1,2 bilhão teria sido destinado se essa lei estivesse implementada", disse Kléber Rodrigues.

O projeto regulamenta, no estado, o estatuto criado nacionalmente em 2006. A elaboração do projeto passou por órgãos do Governo do RN, como as secretarias de Tributação, Administração e Desenvolvimento, Idema, Procuradoria Geral do Estado, Jucern e Casa Civil.

Fonte: G1/RN


Autor: Assessoria de Imprensa


WhatsApp

Outras Notícias